A Amatola Water deve encontrar meios para os petroleiros serem utilizados: Mchunu

Durante os compromissos do Ministro, Mabuyane expressou preocupação sobre os atrasos na conclusão dos projetos de água, especialmente o Projeto de Água de Mzimvubu e o envelhecimento da infraestrutura de água.


Mchunu enfatizou a importância do planejamento conjunto com as principais partes interessadas no setor de água. Crédito de imagem: Twitter (@SAgovnews)
  • País:
  • África do Sul

O alto escalão do Departamento de Água e Saneamento realizou uma série de reuniões com funcionários do Cabo Oriental para encontrar soluções para a crise da água que aflige a província.

Ministro de Água e Saneamento, Benzo Mchunu , junto com seus vice-ministros, David Mahlobo e Dikeledi Magadzi, se reuniram esta semana com o Cabo Oriental liderança provincial, liderada por PremierOscar Mabuyane e o Conselho da Água da Amatola Gestão.

No topo da agenda estavam questões de governação, atrasos na conclusão de projectos de água, fontes de água para abastecer a província e má gestão de algumas entidades.



Durante os compromissos do Ministro, Mabuyane expressou preocupação sobre os atrasos na conclusão de projetos de água, especialmente o Projeto de Água de Mzimvubu e infraestrutura hídrica envelhecida.

Mchunu enfatizou a importância do planejamento conjunto com as principais partes interessadas no setor de água.

TheAmatola Water Board , liderado pelo CEO em exercício Z.Xalisa , solicitou ao Ministro que interviesse no funcionamento dos camiões cisterna adquiridos pela DWS, como forma de intervenção para abastecer as comunidades da província com água onde persiste a seca.

Mchunu disse que a Amatola Water deve encontrar meios para esses navios-tanque serem utilizados e não 'acumular poeira'.

Nos últimos anos, o Município Local de Ndlambe foi afetado por uma seca persistente e falta de água.

O DWS interveio por meio de seu Regional Bulk Infrastructure Grant (RBIG), que aprovou um montante de R80 milhões para fins de construção. O Departamento de Governança Cooperativa e Assuntos Tradicionais contribuiu com R20 milhões para a aceleração do projeto de Ndlambe, enquanto o município de Ndlambe contribuiu com R72,2 milhões. Desse montante, R65,59 milhões são para operação e manutenção em um período de três anos.

Na quarta-feira, Mahlobo e Magadzi visitaram a Planta de Osmose Reversa de Água do Mar de Ndlambe (SWROP) para vivenciar a operação da planta.

A visita ministerial à província termina hoje.

(Com contribuições do comunicado à imprensa do governo sul-africano)