Daniel Balavoine: Doodle do Google em homenagem ao cantor, compositor e ativista francês


Em 1980, ele lançou um álbum de sucesso, Un Autre Monde. Crédito da imagem: Twitter
  • País:
  • França

Hoje, o Google ilustra um doodle em homenagem ao cantor, compositor e ativista francês Daniel Balavoine , um campeão rebelde, mas sensível da música pop e dos direitos humanos.

Neste dia de 1978, Daniel Balavoine lançou seu terceiro álbum 'Le Chanteur' ('The Singer'), uma reflexão emocional sobre a preciosidade da vida que disparou sua carreira.

Daniel Balavoine nasceu em 5 de fevereiro de 1952, em Alençon, França. Na adolescência, ele lutou apaixonadamente por causas sociais com a energia que começou a canalizar para a música em 1970. Ele era o mais novo em uma família de seis filhos. Seu pai, Emile, era engenheiro urbano e trabalhava para o Ministério de Reconstrução. Sua mãe era atacadista de antiguidades.



Em 1959, seu pai mudou-se para a Argélia, enquanto Daniel se mudou para a cidade de Pau, no sul do país, e frequentou um internato. Em 1968, enquanto cursava o ensino médio, foi um dos muitos jovens que apoiaram as greves em todo o país.

Embora seus primeiros esforços musicais tenham voado sob o radar do sucesso mainstream, a carreira de Daniel Balavoine começou a ganhar força quando o popstar suíço Patrick Juvet o incluiu em um de seus álbuns.

Em 1975, Daniel Balavoine continuou a ganhar impulso com o lançamento de seu primeiro álbum solo 'De Vous à Elle en Passant Par Moi' ('From You to Her Through Me'). A performance televisionada de 1977 foi um dos sucessos de seu segundo álbum, 'Lady Marlène', cativou o ícone pop francês Michel Berger.

Michel Berger encomendou Daniel Balavoine para interpretar Johnny Rockfort em sua ópera cyberpunk rock 'Starmania'. O papel foi um sucesso estrondoso que preparou o palco para Balavoine se tornar um inovador de sucesso do pop eletrônico francês.

Em 1980, ele lançou um álbum de sucesso, 'Un Autre Monde' ('Outro mundo'), apresentando algumas de suas canções mais famosas, como 'Je Ne Suis Pas un Héros' ('Eu não sou um herói'), 'Meu filho, minha batalha' ('Meu filho, minha batalha') e 'A vida não me ensina nada'.

programa de tv oak island

Nesse mesmo ano, na televisão, fez um apelo ao político François Mitterrand com o desafio de fazer mais pela juventude. Este foi um momento decisivo para o legado de Balavoine não apenas como músico, mas também como ativista vocal da comunidade e símbolo da próxima geração da França.

Além dos mais de 20 milhões de discos que vendeu, Balavoine era um devoto humanitário. Ele concentrou muitos de seus esforços em melhorar a vida dos residentes em vilas remotas do Saara Africano, especialmente no Mali, onde planejava supervisionar a instalação de bombas d'água perto da rota da corrida de carros de rally Paris-Dakar em 1986.

Daniel Balavoine tragicamente perdeu a vida durante esta viagem, mas seu legado viveu. No mesmo ano, o último álbum de Balavoine, 'Sauver L'Amour' ('Save Love'), ganhou o prêmio póstumo Victoire de la Musique, uma das maiores honrarias da música francesa.

Um brinde a você, Daniel Balavoine!