Processos contra o estado de Ohio por abuso sexual por médico dispensados

Um juiz federal rejeitou algumas das maiores ações judiciais remanescentes sobre o fracasso dos Estados de Ohio em impedir o abuso sexual de décadas pelo agora falecido médico Richard Strauss, dizendo que seu indiscutível Strauss abusou de centenas de jovens, mas concordando com o argumento da OSUs de que a janela legal para tal as reivindicações já haviam passado. Por décadas, muitos no estado de Ohio com a tarefa de proteger e treinar estudantes e jovens atletas, em vez disso, fecharam os olhos para a exploração de Strauss, escreveu o juiz do Tribunal Distrital dos Estados Unidos, Michael Watson, em uma decisão na quarta-feira.


  • País:
  • Estados Unidos

Um juiz federal indeferiu algumas das maiores ações judiciais remanescentes sobre Ohio Falha do Estado em impedir o abuso sexual de décadas pelo agora falecido médico da equipe RichardStrauss , dizendo que é indiscutível Estrauss abusou de centenas de jovens, mas concordando com o argumento da OSU de que a janela legal para tais reivindicações havia passado.

Por décadas, muitos atOhio Estado encarregado de proteger e treinar estudantes e jovens atletas, em vez disso, fez vista grossa para a exploração de Strauss, Tribunal Distrital do USD Juiz MichaelWatson escreveu em uma decisão quarta-feira. De 1979 a 2018, Ohio O estado falhou totalmente com essas vítimas. Os Requerentes imploram a este Tribunal que mantenha Ohio Responsabilizar o Estado, mas hoje, o sistema jurídico também falha os Requerentes. Os advogados de pelo menos alguns dos reclamantes afetados imediatamente prometeram apelar.

Aproximadamente 400 homens e uma mulher processaram a universidade desde 2018 por não impedir o Stauss apesar das preocupações que dizem ter sido levantadas com funcionários da escola durante seu mandato de duas décadas, já no final dos anos 1970. Muitos dos acusadores afirmam que foram acariciados em exames médicos nas instalações esportivas do campus, em um centro de saúde estudantil, em sua casa e / ou em uma clínica fora do campus.



Watson disse que sua janela legal de dois anos em Ohio por trazer tais reivindicações sob o Título IX a lei foi aprovada. Se os homens têm um caminho legal a seguir, ele começa no Statehouse , não tribunais, disse ele.

Em todos os momentos desde o ajuizamento desses casos, o Ohio legislatura tinha o poder, mas não a vontade, de alterar o estatuto de limitações para esses Requerentes, Watson escreveu.

Alguns dos querelantes solicitaram recentemente a recusa do juiz ao caso, depois que ele revelou a eles neste mês que o negócio de sua esposa tem laços com a universidade, mas Watson também negou esses pedidos quarta-feira. Os advogados dos homens disseram que pretendem apelar da questão também.

A universidade se desculpou publicamente e repetidamente e disse que estava comprometida com uma resolução monetária para aqueles prejudicado. Anteriormente, atingiu quase US $ 47 milhões em acordos com 185 sobreviventes - uma média de cerca de US $ 2,52.000 - e ofereceu separadamente um programa de acordo individual que recentemente foi fechado e atraiu juros de demandantes adicionais.

No total, a universidade chegou a acordos de liquidação com mais de 230 sobreviventes, porta-voz da OSU, BenjaminJohnson disse por e-mail quarta-feira. Ele disse que não poderia fornecer detalhes sobre a soma total dos acordos ou o valor médio dos acordos para os participantes do programa individual.

Depois que as alegações vieram à tona, três anos atrás, a universidade procurou descobrir e reconhecer a verdade sobre a história de Richard Strauss abuso e o fracasso da universidade na época em evitá-lo, Johnson disse.

Mas muitos dos homens que continuaram a luta legal argumentaram que a universidade não os tratou com justiça e, portanto, aumentou seu trauma. Eles sustentaram que os assentamentos anteriores eram muito pequenos e que eles merecem uma compensação mais comparável a outros escândalos recentes de abuso sexual no ensino superior. Eles apontam para o estado de Michigan Acordo de US $ 500 milhões para mais de 500 mulheres vítimas de prisioneiro médico do esporte, Larry Nassar e a Universidade do Sul da Califórnia Acordo de USD852 milhões com mais de 700 mulheres que acusaram um ginecologista de abuso sexual.

Ao contrário desses casos, o Ohio Os acusadores estaduais não podem confrontar Stauss , que morreu em 2005. Desde a declaração inicial de choque de sua família, ninguém o defendeu publicamente.

Ele se aposentou em 1998 com uma carteira de trabalho imaculada. Outros registros mostram que houve uma investigação do conselho médico estadual sobre Stauss em 1996, mas ele nunca foi disciplinado. Funcionários atuais do conselho dizem que as evidências de má conduta foram ignoradas naquele caso, mas que eles não podem determinar agora por que seu caso foi encerrado naquela época. MGA MGA

(Esta história não foi editada pela equipe do Top News e é gerada automaticamente a partir de um feed distribuído.)